segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A TRAJETÓRIA DA EMPRESA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - PARTE 2

   Retomando a história da Empresa Nossa Senhora de Fátima, voltamos ao no de 1986. Naquele ano, como consequência do aumento da população da Grande Aracaju e o desentendimento familiar, houve uma dissensão societária, dividindo-a em duas empresas: Viação Halley e a própria Fátima. A Halley passou a atuar juntamente com a Progresso no transporte coletivo de Aracaju fazendo parte do SIT (Sistema Integrado de Transporte), que contava com dois Terminais de integração DIA e Maracaju, nascendo o Projeto Capital que foi uma parceria do Governo do Estado representado pelo então governador João Alves Filho e da Prefeitura de Aracaju na pessoa do então prefeito Jackson Barreto.

   Com a construção de diversos conjuntos habitacionais em São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro, a Fátima passaria a atuar juntamente com a viação São Pedro, empresa ligada ao Grupo Bomfim, no transporte suburbano fazendo a ligação destes complexos habitacionais ao Centro de Aracaju. Nesta mesma época ela adquiriu 5 ônibus chassis Volvo B58 sob carroceria Ciferal Padron Alvorada, sendo a primeira e única a adotar esta motorização no transporte coletivo. Modelo bem apreciado pela população, por ter piso rebaixado e motor central entre-eixos, aumentando o espaço destinado aos passageiros.
Ciferal Padron Alvorada chassis Volvo B58

Durante a gestão municipal do prefeito Wellington Paixão foram inaugurados os Terminais de integração Zona Oeste, Centro, Zona Sul, Zona Norte e Mercado. Neste momento a Fátima retorna a atuar no transporte coletivo de Aracaju, como também as empresas Nossa Senhora das Graças e São Pedro. Aracaju então passou a contar com cinco empresas de ônibus e sete terminais de integração.

   No final da década de 1990 a Empresa Nossa Senhora de Fátima no seguimento de transporte coletivo de Aracaju, se dividiu em Fátima e Trans Fátima.

Na primeira década do século XXI a participação da Fátima urbana e suburbana é vendida e posteriormente a Trans Fátima, agregando sua frota e linhas urbanas e suburbanas a outras empresas do Grupo Bomfim (Rotasul e Santamaria) e depois repassados para a Viação São Cristovão e Viação Cidade de Aracaju (VCA).
Empresa Trans Fátima fruto da divisão da
Fátima na década de 90
   A qualidade dos serviços prestados pela Empresa Nossa Senhora de Fátima rendeu a ela diversos títulos e prêmios como: “A mais atuante” dos anos de 1964, 1967, 1969, 1972, 1979 e 1980 conferidos pela opinião pública de Aracaju, Título de Empresa mais limpa do Brasil conferido pela Rede Globo em 1964, Prêmio de Melhor pintura do Brasil em 1970, conferido pela Mercedes-Benz. Também foi laureada pelo antigo Departamento Nacional de Estradas e Rodagens (DNER), hoje (DNIT) Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, como a Melhor Empresa de Transportes a operar na Rio-Bahia.

   Seguindo o exemplo deixado por Josino Almeida ao transporte de passageiros, seu filho Wanderlan Teixeira de Almeida e seu neto Wanderlan Teixeira de Almeida Junior, juntos administram a Empresa Voyage, que inicialmente ficou com as linhas de transporte intermunicipal para os municípios de Salgado, Lagarto, Simão Dias, Poço Verde e Porto do Mato, onde contava também com agências de viagens em Aracaju e Salvador, a Voyage Turismo e o moderníssimo Trio Elétrico Voyage, que anima eventos a nível nacional, a exemplo o Pré-Caju. Atualmente a Voyage deixou de operar em algumas linhas intermunicipais e está somente com a linha Aracaju / Porto do Mato e no setor de turismo.

   Josino Almeida pela sua dedicação e reconhecimento, recebeu diversos diplomas de honra ao mérito, conferidos por jornais sergipanos. Teve participação na política sergipana, sendo nomeado Prefeito de Campo do Brito, Vereador eleito por Lagarto e Juiz de Paz. Foi dedicado a projetos e programas de interesse público como o Projeto Rondon dentre outros, com o apoio e patrocínio do Exercito Brasileiro, da Marinha do Brasil, da Câmara dos Diretores Lojistas, dos Colégios Jackson de Figueiredo e Nobre, da Universidade Federal de Sergipe e Associação Sergipana de Administração hoje Universidade Tiradentes.
   Falecendo em 26 de julho de 1981, Josino Almeida ostentava 71 anos destes 28 dedicados ao transporte de passageiros. Sua trajetória de trabalho a frente da Empresa Nossa Senhora de Fátima, contribuiu para o desenvolvimento de nosso estado deixando um legado na sociedade sergipana tendo como reconhecimento diversas homenagens em ambientes públicos batizados com seu nome. Em Aracaju temos uma rua, uma praça e uma ponte. Em Campo do Brito uma rua também leva o seu nome. Em 2007, foi galardoado na categoria Post-Mortem da Medalha do Mérito NTU – Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano. Em 2012 foi homenageado no IV Prêmio Setransp de Jornalismo. O Memorial de Sergipe, instituição mantida pela Universidade Tiradentes também homenageia este ilustre sergipano em sua exposição permanente.

Fonte: Publicado originalmente no Memorial de Sergipe/UNIT em 28/05/2013. Pesquisa realizada por Francisco Víctor Santos de Araujo, graduado em História Licenciatura Plena.

3 comentários:

  1. MEU NOME É CARLOS GUSTAVO, GOSTARIA QUE TAMBÉM POSTASSEM A FOTO DE ÔNIBUS DA FÁTIMA NOS MODELOS:
    1) CIFERAL LÍDER MB O_355/6;
    2) MONOBLOCO MB O_355;
    3) CIFERAL LÍDER CAMELO.

    SÃO ESSES MODELOS QUE JÁ EXISTIU E VIAJEI NESSES ÔNIBUS.

    ResponderExcluir
  2. TAMBÉM SE CASO ACHAR, POSTA AS FOTOS DE ÔNIBUS FÁTIMA NOS MODELOS TAMBÉM:
    PLATAFORMA MB O_362 CARROCERIA CIFERAL LÍDER;
    MB LPO 1113 CARROCERIA CIFERAL LÍDER;
    PLATAFORMA MB O_355/6 CARROCERIA CIFERAL LÍDER - 1 ÔNIBUS EXECUTIVO;
    PLATAFORMA MB O_364/6 CARROCERIA CIFERAL TAPAJÓS.

    SE ENCONTRAR POSTA NO MEU E-MAIL: guguc1243@gmail.com

    Carlos Gustavo.

    ResponderExcluir
  3. Belas recordações da Fátima, meus pais chegaram a viajar de Aracaju pró RJ muitas vezes.

    ResponderExcluir