segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

CRISE FINANCEIRA SEM PRECEDENTES.

Sabemos que nosso país vive uma crise financeira, que parece não ter fim. Sem uma luz no fim do túnel, diversos setores da economia tem sido diretamente afetados por essa situação, gerando desemprego em todas as regiões brasileiras.

Agora, a mais nova vítima é a COMIL ÔNIBUS, cuja mais nova fábrica de ônibus urbanos, tinha sido aberta há cerca de 2 anos em Lorena (SP). Fábrica esta que nem mesmo com incentivos da prefeitura, sobreviveu a queda de demanda por novos ônibus.

Cerca de 200 profissionais serão demitidos, e todas as operações da empresa serão concentradas em Erechim (RS), que até então fabricava ônibus para o setor rodoviário. Confiram a nota da empresa na íntegra:

“A COMIL ÔNIBUS S.A. anunciou hoje a paralisação das atividades de fabricação da sua Planta Industrial de Lorena, necessária devido à crise sem precedentes do mercado do ônibus no país que, associados a outros fatores políticos, sociais e econômicos, reduziram o mercado interno de ônibus em 16% em 2014 e 45% em 2015, somando mais de 50% nos últimos dois anos, agravado por forte redução nos preços praticados no mercado de carrocerias e sem perspectivas de retomada do mercado a médio prazo.
Ao longo dos últimos meses a Companhia, Funcionários e Entidade Sindical adotaram diversas ações na tentativa de superar ou minimizar o forte impacto da instabilidade econômica objetivando manter a atividade industrial. Infelizmente, estas ações, associadas aquelas adotadas na unidade matriz, não foram suficientes para compensar a brutal queda no mercado de ônibus e a consequente redução no volume de produção, tornando insustentável a continuidade das atividades industriais da planta de Lorena.
Ao longo de 2015, a Prefeitura envidou esforços para auxiliar a Comil a buscar soluções para reduzir o impacto desta forte crise que estamos enfrentando. Porém, em virtude de todo o contexto não há mais que possamos fazer e nem o poder público de Lorena.
A Companhia lamenta se somar a outras empresas que, diante deste cenário, também encerraram atividades e fecharam estabelecimentos, especialmente considerando o elevado investimento feito na região.
Embora todas as dificuldades decorrentes, a Companhia está envidando todos os esforços para minimizar os impactos decorrentes da decisão ora comunicada e garantir o cumprimento de todos os deveres trabalhistas e sociais, como sempre o fez. Será mantido alguns funcionários para realizar as atividades de transição e conservação do patrimônio.
A Comil reafirma o seu compromisso com o mercado nestes mais de 30 anos de atividade e reforça que a Planta de Erechim, que conta com capacidade de produção de 4.000 ônibus/ano, segue operando, produzindo todos os modelos de carrocerias e atendendo todas as demandas do mercado interno e externo.
A Companhia desde já expressa o infinito agradecimento pela dedicação de seus funcionários, e apoio da comunidade e administração pública local.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário