terça-feira, 30 de agosto de 2016

Comil Ônibus paralisa operação em Erechim


Desde segunda-feira(29/08) a Comil interrompeu toda a produção da sede localizada em Erechim, no Rio Grande do Sul.

Nota Oficial da Comil Ônibus.

A Comil Ônibus informa que, a partir desta segunda-feira, 29 de agosto, inicia um processo de reestruturação da empresa e de seu quadro de pessoal, necessário para adequar-se à atual situação do mercado interno. Tal medida é resultado da grave crise que o Brasil está enfrentando, com grande impacto no mercado de ônibus.

Todos os funcionários, a partir desta data, até o dia 1º de setembro, estarão em licença remunerada em toda a sua jornada de trabalho.

Enquanto isso, a empresa estará negociando com o sindicato o desligamento de parte de seu quadro de funcionários.

A Comil lamenta se somar a outras tantas empresas que precisaram tomar esta difícil decisão. Mas reforça seu compromisso em fazer todos os esforços que estiverem ao seu alcance para diminuir ao máximo os impactos, mantendo o respeito e a seriedade que sempre teve com toda sua equipe, clientes, parceiros e fornecedores.



A Comil ressalta que, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus (Fabus), a produção brasileira de ônibus recuou mais de 60% nos últimos três anos. A produção, que era de 32 mil unidades, neste ano não deverá alcançar a marca de 13 mil. Não se observava uma produção tão baixa desde 1994, há mais de 20 anos. Outros fatores estão impactando de forma relevante as atividades neste segmento: forte inflação de matéria-prima, somente o aço teve um aumento de 35% em 2016; restrição de linhas de crédito para os clientes; a valorização do real frente ao dólar neste ano, impactando diretamente na competitividade dos produtos brasileiros no mercado externo.


A empresa enfatiza que, somados a esta conjuntura econômica, há os veículos do programa "Crack é Possível Vencer" (iniciativa de combate às drogas que fará uso do micro Piá, produzido pela Comil), equipados com alta tecnologia, que já foram entregues, mas o governo federal ainda discute o pagamento. Adamczuk destaca que o valor envolvido nesse negócio é de aproximadamente R$ 44 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário